“Aqui, não é uma empresa apenas interessada no lucro, há um comprometimento”

Gustavo Aguera, cientista de dados da Dr. JONES, tem pele clara, bigode curvo, olhos verdes e cabelos ondulados castanhos. Veste camiseta azul em fundo neutro cinza com luzes.

O Joner de hoje é Gustavo Aguera, nosso cientista de dados, que faz uso das ferramentas da estatística na Dr. JONES para entender o que os clientes precisam e entregar para eles o melhor em cosméticos e produtos para a barba e skincare masculino.

Hoje em dia, o marketing digital é muito mensurável [...]. Conseguimos ser mais assertivos ao lidar com os dados e falar diretamente com nosso cliente.”

ANOVA, teste t de Student, desvio padrão e outros testes e fórmulas estatísticas que são um mistério para boa parte de nós parecem não ter relação direta com skincare masculino e produtos para barba – mas essa é apenas a primeira impressão. 

Na Dr. JONES, gostos, escolhas, preferências e comportamentos dos nossos clientes são coisas sérias, tratadas inclusive pelo crivo da ciência. É aí que entra o papel de Gustavo Aguera, nosso cientista de dados.

Engenharia aplicada ao marketing

Gustavo Aguera em frente a paisagem em colina, usando camiseta branca, gorro azul, jaqueta cinza e óculos de armação preta.

Formado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), Gustavo teve contato com a estatística na própria graduação.

O foco, como pede o curso, era no processo produtivo das indústrias e redução de gastos – mas ele acabou trilhando no marketing uma carreira algo inesperada. 

Tudo começou com uma proposta de estágio em uma agência de marketing, que precisava tratar dados para ter um melhor conhecimento dos resultados de vendas apresentados a seus clientes.

Foi ali, no marketing, que ele ‘assinou’ de vez o casamento com a estatística e com a ciência de dados – e por influência de um professor especial.

“Quem me fez gostar bastante de estatística foi um psicólogo, na ECA (Escola de Comunicação e Artes). Era o primeiro semestre que eu estava na agência e peguei uma disciplina optativa para fazer: Modelos Quantitativos Aplicados à Publicidade”, conta Gustavo.

“Falávamos de pesquisas de publicidade, de opinião... mas o principal era estatística passo a passo. O professor explicava quem criou a média, quem primeiro usou o desvio padrão e por quê. Depois, usávamos um software para inserir e trabalhar com os dados. Esse professor era meio ‘cientista maluco’, a aula era frenética, e ele tem um podcast muito bom. A diferença que um bom professor faz, não é?”, relembra.

Liberdade pelos números

Na Dr. JONES, Gustavo foi chamado para analisar dados da loja virtual, verificar como os clientes se comportam e detectar tendências de consumo, com a oportunidade de participar de um projeto de análises estatísticas com base na confiança da empresa e na possibilidade de investir na sua formação.

“Gosto muito da liberdade que tenho aqui, na Dr. JONES. Se tenho de levar dois dias fazendo uma formação e aprendendo algo novo, essa oportunidade é dada. Isso é importante porque, hoje em dia, o marketing digital é muito mensurável. Antes, utilizam-se muito estratégias de massa, mas hoje conseguimos ser mais assertivos ao lidar com os dados e falar diretamente com nosso cliente”.

Gosto da liberdade que tenho na Dr. JONES."

Em paisagem sobre colina, Gustavo Aguera veste camiseta branca, bermuda preta com listras brancas, tênis branco e óculos escuros e segura um pedaço de madeira. Ao fundo, a paisagem mostra cursos d'água e a planície.

A pergunta que não quer calar: e, afinal, estatística é capaz de permitir maior controle do mundo ou apenas explica o que não controlamos? Gustavo ri. “É uma discussão que existe há vários anos na área: se conseguimos explicar ou se descrevemos muito bem. Ainda estou em cima do muro. O que sei é que sempre começamos descrevendo, mas, sim, há uma outra parte de explicar e buscar respostas a partir dos dados”. 

Uma última pergunta para quem está lendo...

O que se destaca na Dr. JONES?

“Posso dizer que os clientes escolheram uma ótima empresa para acompanhar, onde há boas pessoas", comenta.

Os clientes escolheram uma ótima empresa para acompanhar."

"Aqui, não é uma empresa apenas interessada no lucro, que tenta empurrar ‘qualquer coisa’ para o cliente. Há um comprometimento: de levar o melhor produto para o cliente e de explicar às pessoas sobre men care, que é ainda uma área pouco explorada por aí”.

Imagens: Arquivo pessoal.

Leia também:

Receba as matérias mais bacanas no seu e-mail