4 fake news sobre o Coronavírus que muita gente caiu

Photo by CDC on Unsplash

Sabe o que se propaga tão rápido quanto um vírus? As fake news. Reunimos 5 das mais catastróficas, que geram impactos negativos diretos, para investigar e desmistificar. Pode mandar o link para aquela pessoa que adora encaminhar mensagens suspeitas pelo whatsapp. E o principal: duvide sempre.

1# Numa pandemia, vamos todos morrer?

Bem, existem 4 classificações quanto a comportamento de doenças, contagiosas ou não:

Surto: quando uma pequena área (uma cidade, por exemplo) está com grande número de casos da doença, que cresceram num curto espaço de tempo e em número muito maior que o normal esperado para a região.

Epidemia: quando as ocorrências crescem rapidamente em regiões maiores. Pode ser de vários municípios de um estado, ou vários estados de um país. Não necessariamente possuem uma origem comum que se alastrou, podem ter surgido com focos isolados. É o caso da dengue, por exemplo.

Pandemia: quando a epidemia foge do controle e se alastra por várias regiões do mundo. É o que vivemos hoje com o COVID-19. É um cenário preocupante, porque a doença não foi contida dentro das fronteiras de um país, mas de se esperar quando se trata de uma doença de incubação mais lenta.

Endemia: está classificação é a única que não tem relação direta com o número de casos numa região. Consideramos uma doença endêmica quando ela se manifesta com frequência, sendo corriqueira, mas apenas numa região, como o caso da malária e da febre amarela.

Novel Coronavirus (COVID-19) Situation

Portanto, uma pandemia indica que o contágio pode ocorrer de várias frentes, por várias fontes. Isso é um alerta e um pedido de colaboração para contenção da doença.

2# Mas então todas as viroses passam, não preciso me preocupar

É verdade, todas passam, mas o que importa nesse cenário é quantas pessoas morrem nesse ciclo. Portanto, mesmo que saibamos que a situação uma hora vai se normalizar, precisamos nos unir e nos mobilizar para conter a doença o mais breve possível, evitando novos contágios e novas mortes, além da normalização das atividades da sociedade. E todos somos responsáveis pela contenção da doença, saudáveis ou infectados.

3# Importações contaminadas

Também circulam boatos de que países da Ásia, como a China, cancelaram remessas de exportações por causa do vírus. Mas o coronavírus não sobrevive fora de um organismo vivo por mais de 24 horas. Isso significa que, pode ficar sossegado com suas compras, não há chance de ser contaminado com produtos importados.

Já os produtos alimentícios que você traz do supermercado, esses sim, vale a pena deixar eles de canto por 24 horas antes de abrir. Se o consumo for imediato (como latas de cerveja ou refrigerante) vale a pena lavar a embalagem com água e detergente, ou passar álcool. E isso vale inclusive para levar para a vida. :)

4# Vitamina C, Zinco, Própolis e outras receitas

Suplementos alimentares e vitaminas são produtos desenvolvidos para pessoas com deficiência de nutrientes no corpo, ou para complementar a dose diária de nutrientes de pessoas que não puderam se alimentar direito em determinado dia.

Mesmo que alguns, como a Vitamina C, atuem diretamente no sistema imunológico, o consumo desses suplementos em pessoas sem deficiência destes nutrientes não é recomendado.

Primeiro, porque eles não irão criar um superumano, muito menos um escudo no seu corpo contra infecções. Ao contrário, o consumo além do necessário de qualquer suplemento alimentar pode desencadear outros problemas, como alterações gastrointestinais.

Além de não impedirem o contágio por coronavírus, também não devem ser utilizados, em hipótese alguma, como espécie de tratamento caseiro. Procure um hospital para receber o tratamento adequado.

Contra outras fake news sobre coronavírus, consulte o Ministério da Saúde


Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados