Foto mostra homem negro, com fundo difuso que representa uma sala. Ele segura o queixo com a mão esquerda e sorri para a câmera. Usa camiseta polo branca, tem barba curta e cabelos curtos, raspados.

Como cuidar da pele negra masculina

Manchas, inflamação, pseudofoliculite da barba e oleosidade são alguns dos maiores vilões para a pele do homem negro, mas tem como prevenir e combater todos eles. Vem que a gente conta.

Se você tem acompanhado os artigos do blog da Dr. JONES, já deve ter observado que, para fazer uma barba perfeita, tranquilamente e de forma menos agressiva possível, é importante, sim, fazer uso do ‘kit barba’: pelo menos um excelente aparelho de barbear, um bom produto para deslizar a lâmina e um pós-barba para recuperar a pele.

Há, porém, mais coisas que você pode fazer não apenas para um barbear mais fácil, mas também para manter essa pele saudável, como ter uma rotina de limpeza facial, controlar a oleosidade e cuidar da hidratação, combatendo o envelhecimento precoce.

Agora, uma coisa que muitos deixam de mencionar quando falam de uma rotina de skincare é que tudo isso também precisa levar em conta as características da sua pele – e a pele negra, em especial, tem suas particularidades.

Quais as características da pele negra

Antes de mais nada, é preciso entender exatamente o que queremos dizer com ‘pele negra’.

“Embora, no Brasil, possa haver, às vezes, dificuldades na aplicação até por conta da nossa variabilidade étnica, o mais comum é usarmos a Escala de Fitzpatrick para avaliar os pacientes – até mesmo para não nos delimitarmos”, comenta o Dr. Renato Lima, dermatologista especializado em pele masculina.

A Escala de Fitzpatrick mede seis graus de fototipos de pele e leva em conta a quantidade de melanina produzida, pigmento que dá a coloração. A pele que chamaríamos negra incluiria mais caracteristicamente os fototipos V e VI. Confira.

Desenho esquemático mostrando os 6 fototipos de pele na Escala de Fitzpatrick, com a quantidade de melanina e risco de câncer de pele.

“A característica mais importante da pele morena ou negra que podemos mencionar é a tendência à pigmentação. É uma pele que tende a pigmentar mais fácil, porque já produz mais melanina”, explica o Dr. Renato.

“Então, o problema é o seguinte: essa maior quantidade de melanina realmente protege mais do estresse oxidativo causado pelo sol. No entanto, se houver muita inflamação na pele, ela também vai produzir mais melanina nos locais inflamados, causando manchas”, diz o médico.

É importante dizer que a pele negra não necessariamente inflama mais. A questão é a resposta dela à inflamação. 

Foto que destaca a região do pescoço, sem barba, de homem negro e com o peito nu.

Foto: Rocketmann Team | Pexels.

“A própria acne (cravos e espinhas), se cutucada, pode levar a um quadro assim”, conta o Dr. Renato Lima.

“Uma pessoa com pele mais clara, por exemplo, que gosta de espremer acne, às vezes, não fica com sequela por isso. Na pele negra, as chances de manchas são bem maiores”.

O tratamento da inflamação em peles negras deve ser, portanto, mais intenso e urgente: é preciso que o tratamento seja rápido – sob orientação de um especialista – e, nos casos em que as manchas já se estejam formando, até mesmo entrar com um clareador.

Se as cutucadas na acne ou manipulação excessiva tiverem relação com a ansiedade, também é preciso tratar a própria ansiedade.

Cuidados com a barba negra

Foto de perfil de homem negro de cabelo curto, semirraspado e barba longa, com fundo neutro e camiseta branca com discreta corrente em volta do pescoço.

Foto: Kingsley Osei Abrah | Unsplash.

O homem negro, em particular, também precisa ter cuidados com a barba, por uma questão étnica, esclarece o Dr. Renato. 

“O pelo sai mais inclinado da pele, mais ‘tortinho’, e pode se curvar para dentro. Esse pelo encravado pode inflamar, causando a pseudofoliculite da barba”.

A diferença da foliculite é que nesta está associada uma infecção, causada por uma bactéria, por exemplo. Já na pseudofoliculite, não há microrganismos: o problema é causado apenas por pelos encravados após se fazer a barba. “Parece igualzinho, mas é o pelo que se virou e inflama a pele”, diz o Dr. Renato.

Se, na pele negra, inflamação pode causar manchas, isso também vira uma preocupação para os homens negros – e não só. “Em alguns casos, mais raros, a inflamação na pele pode resultar em queloide, que tem um tratamento mais complicado”, alerta.

Por isso, é preciso ficar atento a qualquer evento que leve à inflamação, da pseudofoliculite a alguma dermatite de contato.

Para ajudar a prevenir esses problemas, o homem negro, mais do que todos, precisa ter uma boa técnica de fazer a barba.

É preciso investir nos produtos e no autocuidado. Usar uma boa espuma de barbear, por exemplo. Usar produtos para pele sensível, aquecer os pelos com água morna, usar lâminas de barbear sempre novas, cortar no sentido do pelo e evitar o corte diferente, usar pós-barba. Se vir pelos encravados se formando, usar uma pinça, com muito cuidado, para remover”, explica o Dr. Renato.

“Em casos mais sérios e quando tudo isso não funciona, é importante entrar com um tratamento dermatológico, que pode ser feito com medicamentos tópicos e antibióticos, por exemplo”.

Esfoliante e protetor, para que vos quero?

Homem jovem e negro de camiseta branca olha-se em frente ao espelho e passa um produto na pele, na região do nariz. Ele tem cabelos cacheados curtos e não usa barba.

Foto: No Revisions | Unsplash.

Uma rotina que pode ser bem interessante para os homens negros é esfoliar a pele.

Essa prática, que é, na verdade, uma limpeza de pele mais profunda, ajuda a diminuir a ocorrência de pelos encravados.

“É preciso usar o esfoliante antes de se barbear. Depois de fazer a barba, a ordem é acalmar a pele”, diz o Dr. Renato Lima.

Um outro cuidado adicional e que é muito importante é usar protetor solar, ao contrário do que diz o senso comum com relação às peles negras e à exposição aos raios UV (raios ultravioleta).

“De fato, o câncer de pele é mais raro, mas não é que não acontece. Depois, para além das vantagens que a pele negra tem – também demora mais a fazer rugas e os cabelos brancos surgem mais tarde –, há tendência a ser uma pele oleosa. É preciso, então, controlar a oleosidade, e alguns protetores vêm com componente antióleo”. 

 “O protetor solar também pode reduzir mancha de inflamação e prevenir a inflamação causada pelo sol, que pode levar ao quadro de manchas que falamos antes”, finaliza o Dr. Renato Lima.

Gostou das dicas? Comenta com a gente de que maneira você trata sua pele – e confira nosso passo a passo de como fazer um skincare masculino.

Foto/Destaque: Fortune Vieyra | Unsplash.

Leia também: